O Conselho de Desenvolvimento Econômico Sustentável de Cascavel, vai se reunir para discutir as vantagens de adotar ônibus elétrico no sistema de transporte de massa. O encontro acontecerá na próxima quarta-feira, 17, às 14horas na sala Paraná da Acic.
O encontro reunirá autoridades municipais, empresas de ônibus, IPC (Instituto de Planejamento de Cascavel), Cettrans (Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito), plenária e câmaras técnicas que compõem o Conselho, entre outros interessados ao tema.

A supervisora do conselho, Patrícia Pacheco, em declaração ao jornal O Paraná, informou que esse é o momento correto de conhecer e entender as vantagens desse tipo de ônibus. “O conselho serve para abrir e apontar caminhos para a sociedade e dentro da área de mobilidade essa é uma opção necessária”, disse Patrícia.

Para apresentar as tecnologias e demais especificidades da eletrificação do transporte por ônibus, estarão presentes o engenheiro Zeno Nadal, da Superintendência de Smart Grid e Projetos Especiais da Copel (Companhia Paranaense de Energia), e o Administrador de Contratos da Eletra, José Antônio do Nascimento.

No evento serão avaliados os impactos na tarifa, a relação custo-benefício do investimento em ônibus elétrico, bem como os benefícios diretos para a questão ambiental – zero emissão e redução de ruídos.
Iêda Maria Oliveira, executiva da Eletra e também vice-presidente da Associação Brasileira do Veículo Elétrico – ABVE, diz que Cascavel é uma cidade boa para essa tecnologia, e que os que os ônibus elétricos são já hoje uma solução moderna e arrojada.

“Temos, por exemplo, o ônibus Dual, que é a melhor opção para Cascavel. Ele tem duas fontes de energia, bateria e combustão, chegando à emissão zero de CO2. Além de ele se adaptar facilmente, podendo virar totalmente elétrico, dependendo das necessidades da cidade”, afirmou Iêda.

Há mais de 30 anos, a Eletra atua na fabricação de sistemas para ônibus menos poluentes, disponibilizando modelos como híbridos, elétricos com bateria, dual bus (duas tecnologias combinadas) e trólebus.

A empresa defende que a durabilidade dos ônibus é maior e os custos por quilômetro rodado são reduzidos, o que tornaria vantajosa a opção por modelos menos poluentes, apesar de o maior preço de aquisição.
Além disso, por emitirem de 50% a 100% menos poluentes, dependendo do modelo os ônibus trazem economia com saúde pública, devido aos problemas relacionados à poluição, e ainda melhoram o conforto no sistema, já que os elétricos são veículos silenciosos.

O ônibus da Eletra “Dual Bus”, elétrico e híbrido, é uma das grandes novidades da empresa. O veículo é de tração elétrica e reúne duas formas de captação de energia. Uma delas é híbrida. O Dual Bus tem dois motores, um elétrico, que faz o ônibus se movimentar e um a diesel (menor que dos veículos convencionais) que serve apenas para gerar energia elétrica. A outra tecnologia é a trólebus, pela qual o ônibus recebe energia da rede área por meio de alavancas conectadas aos fios.

Fonte: Assessoria/OParaná