Praça de pedágio entre Cascavel e Toledo continua na pauta das entidades representativas de Cascavel e da região Oeste do Paraná. Um encontro reuniu na última semana POD- (Programa Oeste Desenvolvimento), tem a união de 55 municípios os quais fazem parte das ações do programa, que é formado por mais de 60 instituições públicas e privadas como empresas, cooperativas, instituições de apoio e fomento, sindicatos e associações de classe, universidades, centros de pesquisa e tecnologia que atuam no território. A Caciopar (Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Oeste do Paraná), contempla 46 associações com mais de 16 mil empresas filiadas e Codesc (Conselho de Desenvolvimento Econômico Sustentável de Cascavel), constituído há 6 anos com a representação de mais de 65 entidades de classe.

Mais de 30 representantes de entidades marcaram presença, entre as lideranças:  presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, presidente do Codesc, Alci Rotta Junior, presidente do POD, Rainer Zielasko e vice-presidente da Fiep, Edson José de Vasconcelos.

Na pauta: praça de Cascavel e Toledo, entendimentos sobre os prazos no Tribunal de Contas da União e licitação, os conselheiros também pautaram a preocupação da curva de aporte e falta de informações sobre como ficou o degrau tarifário, entre temas regionais e pontos específicos.

Qual a previsão para ocorrer o leilão?
A proposta ainda está sendo ajustada e será analisada pelo Tribunal de Contas da União (TCU), último estágio antes de avançar para leilão na Bolsa de Valores (B3). A perspectiva é que o pregão ocorra no primeiro trimestre de 2022. Lembrando que os atuais contratos vencem no dia 27 de novembro.

Crédito: Patrícia Pacheco