Conselho Sustentável é reflexo de sociedade que quer participar

A criação do Conselho e a eleição por aclamação de sua primeira diretoria é o reflexo de uma sociedade madura e que quer participar e contribuir para o
desenvolvimento social e econômico ordenado de sua comunidade. Essa é a síntese da primeira fala do engenheiro civil Edson José de Vasconcelos logo depois de ser eleito presidente do Conselho de Desenvolvimento Sustentável de Cascavel, em assembleia ordinária eleitoral realizada na noite de terça-feira, na Acic.

A eleição da primeira diretoria foi feita por representantes das 19 entidades que compõem a plenária do Conselho. O edital de convocação da
eleição e os nomes da chapa foram lidos e aprovados com uma salva de palmas. Edson, presidente do Sinduscon/Oeste do Paraná e vice da Fiep,
afirmou que é com respeito e com seriedade que assume o Conselho. “São 65 entidades que se somam para ajudar, para sintonizar forças e para trazer
norte com foco no desenvolvimento”, afirmou ele.

O Conselho é consequência de inúmeros debates, feitos durante muitos anos e com experiências que, gradualmente, prepararam o município para esse momento tão especial, segundo Edson. Um dos pontos mais importantes ocorreu em 2012, com o projeto Cidades Inovadoras, da Fiep, e então com o suporte do G8. “Com os olhos na Cascavel de 2030, vamos trabalhar por um ambiente de desenvolvimento social agradável, com uma sociedade sustentável e socialmente evoluída”. E o presidente então recém-empossado decretou: “Dedicação e vontade de trabalhar não vão faltar”.

Desafio

Para vice do Conselho foi eleito o presidente do Sindilojas, Paulo Beal. Ele entende a atribuição como um grande desafio e que todos, com sinergia,
contribuirão para passos importantes com foco em um município muito melhor a todos. “Vamos todos compor um ambiente adequado para o debate e o crescimento que todos esperam”.