O coordenador do grupo de trabalho ferroviário do Estado do Paraná, Luiz Henrique Fagundes, detalhou na terça-feira (21), o projeto de execução da Nova Ferroeste, na Acic. Técnicos e representantes do Codesc (Conselho de Desenvolvimento Econômico Sustentável de Cascavel), POD (Programa Oeste em Desenvolvimento) e Caciopar (Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Oeste do Paraná), entre outras entidades da região Oeste do Paraná, prestigiaram a reunião. O conselheiro do Codesc e vice-presidente da Fiep, Edson José de Vasconcelos, foi o idealizador do encontro.
A nova ferrovia tem tudo para transformar o estado do Paraná em um Hub logístico, obra importante para escoar nossa produção e do nosso vizinho Paraguai, vai passar por 41 municípios do Paraná e 8 municípios do Mato do Grosso Sul e será o segundo maior corredor de exportação de grãos e contêineres do País em volume de carga, com valor estimado em 3% do PIB nacional.
O projeto está em fase final de estudos de viabilidade técnica, de engenharia e ambiental. O traçado já está definido e será levado a consulta pública no início de 2022.
A intenção é colocar a ferrovia em leilão na Bolsa de Valores do Brasil (B3), com sede em São Paulo no primeiro semestre de 2022. O consórcio que vencer a concorrência será responsável também pelas obras e poderá explorar a ferrovia por 60 anos. O investimento é estimado em R$ 30 bilhões.
Crédito: Patrícia Pacheco
.
.
.
.